18 de novembro de 2019

Idosa de 92 anos é estuprada na zona rural de São Luís

Um homem de 73 anos estuprava a idosa de 92 anos sempre que ela ficava sozinha em casa e indefesa, sem puder andar e passa o dia todo deitada numa cama, usando fraldas. Ele é vizinho da vítima.  Segundo o promotor Augusto Cutrim (foto acima), da Promotoria do Idoso, o pedido de prisão do estuprador já foi solicitado à Justiça e ele encontra-se foragido desde o mês de julho passado. A idosa mora sozinha em uma casa em Tajaçuaba, zona rural de São Luís. O blog teve acesso ao vídeo do homem estuprando a idosa, mas preferiu não usar tal material. Por: Luís Cardoso
Facebook
Twitter
Instagram
14 de outubro de 2019

Ainda é mistério o desaparecimento do Pastor da Assembleia de Deus desde sexta-feira (11) em São Luís

Virou mistério o desaparecimento do pastor Mackson da Silva Costa, da Assembleia de Deus Ministério IDE/Campo Cohatrac, em São Luís, que está desaparecido desde sexta-feira (11). Ele foi visto pela última vez nas imediações da Vila Palmeira. O pastor estava em seu veículo, um Fiat Mobi Like, de cor vermelha, placa PSX-9805. Mackson Costa tem 37 anos e é casado. Pelas informações, ele estaria trabalhando como motorista de aplicativo. CARRO ENCONTRADO O veículo do pastor e funcionário da SSP Mackson da Silva Costa, de 37 anos, foi encontrado na manhã de domingo (13), por volta das 6h, na Avenida 07, no Conjunto Maiobão, nas proximidades do Posto Ipiranga, em Paço do Lumiar. No interior do veículo, os policiais encontraram dinheiro e documentos. Até o momento, não se tem pistas de Mackson. Qualquer informação sobre o paradeiro do pastor pode ser passada para o disque denúncia pelo 3223-5800, 0300 313 5800 e pelo WhatsApp 99224-8660.
Facebook
Twitter
Instagram
10 de junho de 2019

Twitter de Mourão foi invadido para ‘apoiar’ divulgação de mensagens furtadas de Moro

Na mensagem falsa, o vice-presidente consideraria “graves” as mensagens divulgadas Em mais uma investida criminosa, a conta no Twitter do general Hamilton Mourão, vice-presidente da República, foi invadida nesta segunda-feira (10) fazendo parecer que era de sua autoria uma mensagem em que ele criticaria o ministro Sérgio Moro (Justiça) e consideraria “graves” as mensagens divulgadas no site Intercept. No fim de semana, o site divulgou mensagens furtadas de celulares de integrantes da Operação Lava Jato. A invasão das mensagens trocadas no aplicativo de mensagens Telegram foi considerada criminosa por Moro e pelos procuradores da República, que denunciaram a tentativa de destruir a Lava Jato. Moro lamentou que a reportagem não indicasse a fonte das informações e o fato de não ter sido ouvido. Segundo ele, no conteúdo das mensagens que citam seu nome, “não se vislumbra qualquer anormalidade ou direcionamento da atuação enquanto magistrado, apesar de terem sido retiradas de contexto e do sensacionalismo das matérias, que ignoram o gigantesco esquema de corrupção revelado pela Operação Lava Jato”. A força-tarefa da Lava Jato divulgou uma nota declarando que seus integrantes foram vítimas de ação criminosa de um hacker. E que esse […]
Facebook
Twitter
Instagram
6 de junho de 2019

IMPERATRIZ: Mulher que atropelou família e matou duas pessoas é colocada em liberdade

Viviane Santos da Silva vai responder ao processo em liberdade com uso de tornozeleira eletrônica.  A jovem Viviane Santos da Silva, de 19 anos, que atropelou uma família inteira, matando duas pessoas, foi colocada em liberdade. A decisão foi anunciada em Audiência de Custódia, no fim da tarde dessa quarta-feira (5). A autora do acidente fatal vai responder ao processo em liberdade com tornozeleira eletrônica.  Após provocar o atropelamento, Viviane foi presa e autuada em flagrante pela prática de crime de homicídio culposo na direção de veículo automotor e sob efeito de álcool. Um teste do etilômetro constatou embriaguez da jovem, que dirigia com a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) provisória. A audiência foi presidida pela juíza Ana Lucrécia Bezerra Sodré Reis, que entendeu que não haver indícios para manter a jovem presa. A magistrada ponderou que não existem nos autos documentos (imagens, filmagens ou depoimentos) que informem como o fato ocorreu, de modo que, ao menos por hora, não é possível dar ao fato capitulação penal diferente da apontada pelo delegado de polícia (homicídio culposo). Registrou, ainda, a magistrada que o clamor público não se constitui causa legal de […]
Facebook
Twitter
Instagram