4 de maio de 2018

Sem foro, políticos alvejam a regra sobre prisão

Ao limitar o foro privilegiado aos crimes cometidos por parlamentares durante o mandato e por fatos relacionados ao cargo, o Supremo deu uma contribuição para atenuar a impunidade no país. Muita gente não tem ideia da importância dessa decisão. Mas a Lava Jato ajuda a explicar. Nessa operação, os corruptos sem mandato estão em cana —inclusive Lula. Os réus com mandato, continuam impunes depois de quatro anos de investigação. O primeiro privilegiado a ser julgado, em sessão marcada para o próximo dia 15 de maio, será um deputado do baixíssimo clero: Nelson Meurer, do PP. A decisão do Supremo, tomada por maioria de votos, depois de dois pedidos de vista que retardaram o veredicto por quase um ano, é uma vitória. Mas convém não baixar a guarda. O inimigo continua na trincheira. Nas próximas semanas, será necessário acompanhar o filtro que os ministros do Supremo adotarão para selecionar os processos que descem para a primeira instância e os que permanecem em Brasília. Venceu-se mais uma batalha. Mas a guerra está longe de acabar. E os larápios que se escondem atrás de mandatos já esboçam uma reação. Vão elevar a pressão […]
Facebook
Twitter
Instagram
2 de maio de 2018

A LÓGICA DO PATERNALISMO E O ESTADO CONTROLADOR

A influência que a esquerda exerce sobre as redações, a academia e o mundo artístico propaga conceitos ideológicos como se fossem verdades certificadas. Quem discorda é patrulhado por “especialistas” arregimentados pela mídia em geral – que, mais das vezes, busca quem confirme sua tese. O patrulhamento fenece o raciocínio. O livre pensar fica, então, emparedado. Uma contradição em setores que deveriam representar o contraditório, o debate e a vanguarda. Nada disso se vê nesta banda dos trópicos. Diante de qualquer questionamento saca-se respostas prontas de emboloradas prateleiras ideológicas.  O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, considerou contraditório o comportamento de usuários de drogas que, de dia pedem segurança, à noite consomem drogas. Quem consome drogas, raciocinou, financia o crime organizado. A afirmação do ministro não tem como ser contestada de maneira racional. Pode ser estigmatizada ou atacada com argumentações transversas. A culpa é do governo Expressa, porém, a mais pura lógica. Não haveria aparato criminoso gigamenso, numa ponta, se, na outra, não houvesse quem consumisse o produto do crime. A lógica pode provocar desconforto, jamais ignorada. Mas quem conhece a sinistra sabe que ela funciona como seita. Seitas não têm integrantes, […]
Facebook
Twitter
Instagram
30 de abril de 2018

A disputa em 2018 também inclui a narrativa política

A linguagem da política permite identificar o tipo de visão de mundo do interlocutor, tanto do ponto de vista político – se situado à direita ou à esquerda do espectro político – quanto do ponto de vista ideológico, se liberal ou socialista. Se perguntarem a alguém à esquerda do espectro político sobre as visões de estado em disputa no pleito de 2018, essa pessoa dirá que existem três projetos em jogo: a) o estado de bem-estar social, b) o estado liberal-fiscal, e c) o estado penal. Se for feita a mesma pergunta a alguém à direito do espectro político, essa pessoa dirá também que existem três visões em disputa: a) uma populista, com soluções fáceis para problemas difíceis, b) outra pautada pela razoabilidade, com reformas e equilíbrio fiscal; e c) uma linha dura ou de defesa ordem. Nessa disputa também existem articulistas, que estão tão identificados com as forças liberais e fiscais, que chegam a dizer que qualquer alternativa de sucessão fora da continuidade do projeto atual, ou seja, fora daquilo que chama do “centro” político, representa ruptura, numa clara indução no sentido da preservação desse modelo. É nesse contexto […]
Facebook
Twitter
Instagram
4 de abril de 2018

OS RATOS DA LAVA-JATO E O APARTHEID CARCERÁRIO

Quando decidiram que era tarde da noite para decidir sobre a prisão em segunda instância, os juízes da Suprema Corte abriram uma brecha para a soltura dos meliantes do erário. Se decretarem a alforria de ladrões graúdos, os onze supremos sufetas estarão sepultando a Lava-Jato. A possibilidade da prisão em segunda instância aliada às delações premiadas provocou um torvelinho de proporções nunca antes vistas em terras brasilianas. Pela primeira vez, a elite branca e rica, e corrupta, se viu ameaçada pelo xilindró. Patrimonialista, a elite da terra brasillis acostumou-se a depredar o patrimônio público. Não se tem notícia de que, antes da operação policial, ela tenha sido barrada em sua sanha larápia.  Com técnica investigatória, determinação legal e estratégia de mídia, um grupo de delegados, procuradores e juízes avançou sobre os que rotineiramente avançavam sobre o erário. Os meliantes do erário fizeram o que sempre fizeram. Quem fugiu do script foram os investigadores. Ratazanas em Rondônia Governo plantonista, o PT seguiu os passos dos partidos que mandam no Brasil há 33 anos. PMDB e PSDB, em proporções diferentes, já se refestelaram nos cofres escancarados do erário. Chegada a hora dos endinheirados de diversos matizes […]
Facebook
Twitter
Instagram