18 de julho de 2018

Em nova demonstração de descontrole, Ciro Gomes insulta promotor de ‘f.d.p.’

Além de xingar o promotor, Ciro ainda ameaçou limitar a atuação do Ministério Público. (Foto: Marcelo Chello) Em mais uma demonstração de descontrole, o pré-candidato a presidente pelo PDT, Ciro Gomes, xingou de “filho da puta” o promotor que o processa por injúria racial, em razão de outro destempero do político reagindo a criticas do vereador paulistano Fernando Holiday (DEM), que é negro, chamando-o de “capitãozinho do mato”. “Um promotor aqui de São Paulo Ciro resolveu me processar por injúria racial” – afirmou o pré-candidato durante evento na Associação Brasileira de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), demonstrando irritação e impaciência, sem justificar a ofensa ao vereador. “E pronto! Um filho da puta desse faz uma coisa dessas e pronto!”. Ciro ainda ameaçou limitar a atuação dos integrantes do Ministério Público, caso vença a eleição. “Ele que gaste o restinho de suas atribuições, porque se eu for eleito presidente essa mamata vai acabar”, prometeu. E curiosamente sustentou que “ninguém pode viver autonomamente, a lei é superior a todos nós”. “E isso é muito concreto. Então eu tenho a minha biografia, a minha honradez e porque viro candidato o camarada resolve me processar […]
Facebook
Twitter
Instagram
17 de julho de 2018

Brasil pode repetir francês Macron elegendo o 2º mais votado no 1º turno

Bolsonaro e Lula Foto: Reprodução Alta rejeição de líderes pode eleger 2º colocado no segundo turno O cruzamento de pesquisas de intenção de votos para presidente, em outubro, mostra que a liderança de Jair Bolsonaro (PSL) ou mesmo do inelegível Lula (PT) para presidente não os coloca com a mão na faixa. Com altos índices de rejeição, superiores à metade dos votos válidos, o mais provável é que se reproduza no Brasil o fenômeno das eleições presidenciais da França, onde o candidato que ficou em 2º lugar no primeiro turno acabou eleito presidente com votação consagradora. Como na França, no Brasil o 2º mais votado no primeiro turno tem tudo para unir eleitores e derrotar no segundo turno o adversário rejeitado. Com rejeição muito elevada, a ultradireitista Marine Le Pen foi derrotada pelos franceses simpáticos à esquerda até a centro-direita. Emmanuel Macron chegou ao segundo turno contra Le Pen com 23% do votos. Foi eleito com apoio consagrador de 65% dos eleitores. Levantamento do Paraná Pesquisas indica que ao menos 49,6% não votam em Bolsonaro, e 61,2% não votariam em candidato de Lula. A informação é da Coluna Cláudio Humberto
Facebook
Twitter
Instagram
26 de junho de 2018

STF DECIDIRÁ SOBRE CONTRIBUIÇÃO SINDICAL

O Supremo Tribunal Federal, quando for analisar a constitucionalidade ou não da Lei 13.467/2017, no aspecto que trata da contribuição sindical, terá que examinar a matéria à luz do tripé da Constituição de 1988 que dá sustentação à organização sindical, formado pela unicidade sindical (art. 8º, II), a representatividade compulsória (art. 8º, III) e a contribuição sindical (art. 8º, IV, parte final). O Constituinte, ao tratar da organização sindical, estruturou a representação dos trabalhadores e empregadores com base em três princípios: o da unicidade, que consiste em não admitir mais de uma entidade representativa de uma mesma categoria profissional ou econômica, numa mesma base territorial, que não será inferior ao município; o do sistema confederativo, que consiste em organizar a representação por categoria profissional; e o da contribuição sindical, que consiste na garantia de forma compulsória de custeio por força do monopólio de representação sindical de associados e não-associados. Para maior clareza, reproduzimos a seguir os três incisos do art. 8º da Constituição Federal: “Art. 8º É livre a associação profissional ou sindical, observado o seguinte: …. II – é vedada a criação de mais de uma organização sindical, em […]
Facebook
Twitter
Instagram
25 de junho de 2018

PESQUISAS REVELAM DESENCANTO COM A POLÍTICA, NÃO DESINTERESSE

Duas pesquisas recentes sobre as eleições presidenciais, do Datafolha e da XP/Ipespe, reforçam o distanciamento dos eleitores em relação ao pleito de 7 de outubro. Os baixos índices no voto espontâneo e os altos percentuais de rejeição indicam, mais do que desinteresse, o desencanto com a política. Alguns indicadores destas pesquisas apontam para esta conclusão. Apurados em junho, os levantamentos trazem impressões recentes dos eleitores. A manifestação espontânea, sem a apresentação de um cartão com os nomes dos presidenciáveis, converge em ambas. A soma dos que não sabem, nulos e brancos totaliza 69% no Datafolha. No Ipespe, este percentual é de 65%. Considerando o histórico das eleições de 2015 para cá, razoável concluir que pelo menos 90 milhões de eleitores não votariam em ninguém se o sufrágio fosse hoje – e se o voto não fosse obrigatório. Grosso modo, consideradas as margens de erro de ambas (2 e 3,2 pontos percentuais), 7 em cada 10 eleitores não se interessam por nenhum candidato. Poderia ser apenas desconhecimento, mas não é o que parece. Ao perguntar o grau de interesse nas eleições, o Ipespe levantou 68% de respostas positivas. 28% dos entrevistados […]
Facebook
Twitter
Instagram