Órgãos de controle atestam idoneidade da gestão Natalino Salgado

Nos dois quadriênios em que exerceu o mandato de reitor da Universidade Federal do Maranhão, UFMA, entre 2007 e 2015, o professor Natalino Salgado realizou e entregou mais de 60 (sessenta) obras por todo estado, todas voltadas à expansão e modernização da instituição.

Foram obras que transformaram o Campus Dom Delgado, do Bacanga, em São Luís, e produziram grandes mudanças nos oito campi do continente: Imperatriz, Balsas, Bacabal, Grajaú, Chapadinha, Pinheiro, Codó e São Bernardo.

Este elenco de obras realizadas pelo professor Natalino Salgado teve suas contas aprovadas pelo Conselho Superior da UFMA e pelo Tribunal de Contas da União, conforme certidões expedidas pelos órgãos de controle, atendendo a um gesto voluntário do candidato a reitor. Na certeza da sua conduta ilibada, o candidato obteve certidão de igual teor junto à Justiça Estadual.

As tentativas de imputar condutas irregulares à gestão do professor Natalino estão sustentadas em conjecturas, descontruídas tecnicamente pelo conteúdo e sem qualquer razoabilidade de acordo com a própria documentação da Controladoria-Geral da União.

No relatório em questão, é citado que foram investigadas supostas irregularidades. Contudo, em nenhum momento há menção a supostos superfaturamentos, existência de sobrepreço ou quaisquer outras irregularidades que venham a causar danos ao perfil de idoneidade, responsabilidade e compromisso de Natalino Salgado como homem público pobro.

Os relatórios supracitados pelos opositores à candidatura do professor Natalino Salgado, amparada pelo Pacto pela Ufma, grupo que aglutina mais de 500 pessoas ligados à instituição de ensino superior, apontam tão somente falhas técnicas e de fiscalização, atribuições que não estariam no escopo de competência do ordenador de despesa.

É preciso que se diga de antemão que no relatório da CGU de 172 páginas, em nenhum momento, o professor Natalino Salgado é apontado como um dos “´possíveis responsáveis”, pelas falhas nele indicadas. Nem mesmo dá a entender algo nesse sentido.
Análise mais detida do documento, evidencia que nenhum das falhas, tanto de âmbito técnico ou de fiscalização, estão relacionadas à atuação direta do professor Natalino Salgado, com atual reduzida a um simples ordenador de despesas.

Por conta desta situação, não consta no documento utilizado como argumento para atacar o candidato, qualquer solicitação de instauração de Tomadas de Contas Especial, o que eventualmente poderia ensejar denúncias de irregularidades. Por fim, todas as manifestações apresentadas pela UFMA, quase totalidade delas apresentadas após a conclusão da gestão de Natalino, e que estão reproduzidas no relatório, confirmam a inexistências efetiva de irregularidade passível de responsabilização.

Facebook
Twitter
Instagram

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *