Hospital Lídia Martins já chega a marca dos 400 mil atendimentos e dívida que o governo do Estado tem com o município sobre os repasses para a saúde já chega a quase R$3 milhões de reais

Enquanto dezenas de municípios maranhenses sequer mantém uma UBS funcionando, o prefeito de Bequimão, Zé Martins, mantém em funcionamento pleno, o Hospital Municipal Lídia Martins. De acordo com o balanço realizado pela Secretaria Municipal de Saúde, baseiam-se somente de janeiro de 2013 a julho de 2018, quando somam 371.036 atendimentos. Mas de julho de 2018 a maio de 2019, os números aumentaram e já se aproximam dos 400 mil atendimentos.

Segundo dados do CNES foram 6.617 internações realizadas de 2013 a 2018 no hospital Lídia Martins. Na especialidade pediatria foram 1.157 atendimentos, clínica médica 3.595 atendimentos, clínica obstétrica 1.062 atendimentos e clínica cirúrgica 803 atendimentos. Já os atendimentos de enfermagem foram 192.529 no mesmo período.

Os atendimentos médicos somaram 170.640 também de 2013 a 2018. Atendimentos de urgência com remoção foram 2.746, atendimentos de urgência em atenção básica foram 82.065, drenagem de abscesso foram 307, sutura simples 2.340, pequenas cirurgias 1.523, retirada de corpos estranhos 626 e consultas foram realizadas 81.033.

De acordo com o relatório do Sistema de Informações, de janeiro de 2013 a julho de 2018, nasceram 1.058 crianças no hospital municipal Lídia Martins. Em 2013 foram (96), em 2014 (147), em 2015 (246), em 2016 (232), em 2017 (204) e em 2018 nasceram 133 crianças em Bequimão.

Durante entrevista ao Canal do Youtube A Vibe Do Mano RoBi, o secretário de Saúde de Bequimão, Sidney Bouéres destacou a importância do hospital Lídia Martins para o município. “O Lídia Martins é um hospital de 20 leitos de urgência e emergência, e nossa gestão recebeu o hospital com responsabilidade de fazer funcionar, e mesmo com todas as dificuldades, o prefeito Zé Martins mantém o pleno funcionamento do hospital. Temos um corpo médico de plantão 24h, além de outros profissionais como enfermeiros, técnicos de enfermagem, motoristas, maqueiros, atendentes, cozinheiras, zeladores e outros. Durante a entrevista o secretário desmente o fake news espalhado de que o hospital iria fechar. Sidney enfatizou ainda, que o hospital Lídia Martins consome algo em torno de 60% do Fundo de Participação do Município. O secretário lembrou da dívida que o governo do Estado tem com o município sobre os repasses para a saúde que chega a quase R$3 milhões de reais”, finalizou falando que o hospital Lídia Martins é uma das maiores obras que Bequimão já recebeu.

A Secretaria Municipal de Saúde de Bequimão, ainda dispõe das especialidades de pediatria com Dr. Paulo Mendonça, urologia com Dr. Luís Domingues, obstetrícia e ginecologia com Dr. Joaquim Melo. Os atendimentos são realizados no posto Santo Antônio, no Centro da cidade. Já as cirurgias eletivas na especialidade urologia são realizadas no hospital Lídia Martins, pelo Dr. Luís Domingues. Apenas os serviços de alta complexidade são realizados fora do município de Bequimão.

Nas Unidades Básicas de Saúde (UBS’s), dos povoados Jacioca, Areal, Quindíua, Santana, Mojó, Macajubal, Deserto e Bebedouro, as equipes do Programa Estratégia Saúde da Família (ESF) também realizam atendimento constante. Para melhorar ainda mais os serviços de saúde, a prefeitura de Bequimão já adquiriu três ambulâncias (a última foi entregue à população no dia 7 de setembro de 2018) e criou o Núcleo de Apoio à Saúde da Família (NASF), que conta com serviços de fisioterapia, terapia ocupacional, nutrição e assistência social.

Por G7

Facebook
Twitter
Instagram

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *