Em nova demonstração de descontrole, Ciro Gomes insulta promotor de ‘f.d.p.’

Além de xingar o promotor, Ciro ainda ameaçou limitar a atuação do Ministério Público. (Foto: Marcelo Chello)

Em mais uma demonstração de descontrole, o pré-candidato a presidente pelo PDT, Ciro Gomes, xingou de “filho da puta” o promotor que o processa por injúria racial, em razão de outro destempero do político reagindo a criticas do vereador paulistano Fernando Holiday (DEM), que é negro, chamando-o de “capitãozinho do mato”.

“Um promotor aqui de São Paulo Ciro resolveu me processar por injúria racial” – afirmou o pré-candidato durante evento na Associação Brasileira de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), demonstrando irritação e impaciência, sem justificar a ofensa ao vereador. “E pronto! Um filho da puta desse faz uma coisa dessas e pronto!”.

Ciro ainda ameaçou limitar a atuação dos integrantes do Ministério Público, caso vença a eleição. “Ele que gaste o restinho de suas atribuições, porque se eu for eleito presidente essa mamata vai acabar”, prometeu. E curiosamente sustentou que “ninguém pode viver autonomamente, a lei é superior a todos nós”.

“E isso é muito concreto. Então eu tenho a minha biografia, a minha honradez e porque viro candidato o camarada resolve me processar por injúria racial. E se ele me causa prejuízo político, eleitoral, em Magé, quem me indeniza? Quando será essa indenização? Pode isso acontecer? Em que lugar do mundo isso pode acontecer impunemente?”

Virou caso de polícia

O Ministério Público de São Paulo pediu no dia 12 passado, ao Departamento de Polícia Judiciária da Capital (Decap) – vinculado à Polícia Civil – a instauração de inquérito para averiguar suposto crime de injúria racial cometido por Ciro Gomes contra o vereador, que participa do Movimento Brasil Livre (MBL). O MP atendeu a uma representação do advogado Maurício Januzzi, do escritório Januzzi e Carvalho. A pena para o crime de injúria racial é de 1 a 3 anos de prisão mais multa.

Em 18 de junho, Ciro chamou Holiday de “capitãozinho do mato” durante entrevista à Rádio Jovem Pan. “Esse Fernando Holiday aqui é um capitãozinho do mato. Porque a pior coisa que tem é um negro usado, pelo preconceito, para estigmatizar”, afirmou político, nervoso, ao comentar as suas diferenças com o DEM e a atuação do vereador no impeachment da presidente cassada Dilma Rousseff. Holiday classificou a fala como racista e anunciou por meio de suas redes sociais que iria processar o pedetista.

Nesta terça (17), o vereador disse esperar ir até o fim na Justiça sobre o caso, não só por meio da representação do MP, mas também por meio de ação cível, cuja primeira audiência deve ocorrer em agosto. “Espero que ele seja punido em ambas as instâncias”, disse.

Facebook
Twitter
Instagram

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *