Sarney articula esvaziamento do grupo partidário de Flávio Dino

O jogo é duro e é jogado nos bastidores de Brasília. O ex-presidente José Sarney (MDB) continua trabalhando com o objetivo de esvaziar o conglomerado partidário, formado por cerca de 14 siglas, que apoia o projeto de reeleição do governador Flávio Dino (PC do B).

Uma das manobras que está sendo articulada por Sarney, que transferiu recentemente o seu domicílio eleitoral para o Maranhão, consiste em tomar do comunista o Partido Progressista (PP) através da filiação do deputado federal Hildo Rocha, do MDB.

Figurando como o terceiro maior tempo na propaganda eleitoral, o PP, através do seu presidente regional, o deputado federal André Fufuca, fechou apoio ao governador ainda no ano passado e recebeu como recompensa o controle da Secretaria de Estado do Esporte e Lazer, que é dirigida por Hewerton Carlos Rodrigues, ex-auxiliar de Fufuquinha.

Sarney já teria, inclusive, se reunido com o senador Ciro Nogueira, presidente nacional da legenda, e traçado um cenário no qual mostrou o desprestígio dispensado ao PP pelo governador, tendo insistido na tese de que o projeto nacional do partido, nem de longe, se assemelha ao que defende o PC do B de Flávio Dino, que flerta com presidenciáveis da esquerda e da direita.

Propôs o nome de Hildo Rocha para se filiar à sigla e, desta forma, executar um plano que resultaria em uma intervenção no diretório estadual progressista.

O editor do blog questionou Rocha sobre a possibilidade. Ele não respondeu à pergunta.

Outros partidos – Outro partido que corre sério risco de sair da base de apoio de Flávio Dino, por determinação da sua executiva nacional, é o PTB.

O seu presidente nacional, Roberto Jefferson, mantém relação muito próxima com Sarney.

Prova disso foi a “bolada nas costas” dada no deputado federal Pedro Fernandes, presidente estadual da legenda, que dormiu ministro do Trabalho e acordou fora do cargo por interferência do ex-presidente.

Além disso, o próprio Jefferson já mostrou várias vezes o seu posicionamento político contrário ao que é defendido por Dino.

Há quem sustente a tese de que Sarney, que está em Brasília desde a semana passada, estaria disposto a se meter na briga pelo controle do DEM no Maranhão.

O deputado federal Juscelino Filho foi reconduzido ao comando do partido e sacramentou apoio a Flávio Dino, mediante a participação da sigla nos cargos de vice-governador ou senador.

Para Sarney, o interessante seria que o Democratas estivesse no campo de apoio à pré-candidatura da sua filha Roseana, o que torna-se, neste momento, impraticável em virtude do distanciamento, à nível nacional, do partido com o MDB de Michel Temer.

Porém, diante deste cenário, para o ex-presidente é mais interessante que o DEM caia nos colos do ex-governador José Reinaldo Tavares (sem partido) e do deputado estadual Eduardo Braide (PMN).

José Sarney se movimenta freneticamente para esvaziar a coalizão partidária mantida por Flávio Dino.

E é bom que o governador abra o olho.

Caso contrário…

Fonte: glaucioericeira.com.br

Facebook
Twitter
Instagram

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *