Vídeo: Roseana confirma candidatura ao governo e afirma: “temos muita possiblidade de vencermos as eleições”

Ex-governadora criticou duramente o seu sucessor, Flávio Dino, apontando que o comunista não realizou nenhuma “mudança”, tendo se especializado em promover perseguições.

A ex-governadora Roseana Sarney (PMDB) deu mostras, mais uma vez, de que sua pré-candidatura ao governo do Maranhão é para valer.

Em entrevista ao Portal Até Hoje, a peemedebista ratificou o seu projeto de retornar ao comando do estado; desfez “picuinhas” políticas envolvendo o seu nome e o do irmão, Sarney Filho (PV), pré-candidato ao Senado; e criticou duramente o seu principal opositor, o governador Flávio Dino (PC do B), afirmando que o comunista não cumpriu a tão propagada “mudança”, tendo se especializado em promover perseguições.

De acordo com Roseana, as pesquisas de intenção de voto as quais ela e seu partido tiveram acesso apontam o seu nome em boa situação para concorrer e vencer o pleito.
Sobre a relação com Sarney Filho, a ex-governadora garantiu que não há nenhuma cizânia e que ambos tem legitimidade para concorrer na eleição majoritária.

Sobre Flávio Dino, Roseana avaliou que o comunista não executa nenhuma ação de mudança e que os projetos desenvolvidos por ele foram todos iniciados no seu governo.

“Os projetos que aí estão foram pensados e elaborados pelo meu governo. E outros que acabaram estão fazendo falta. O Viva Luz era um projeto interessantíssimo, principalmente para aqueles que recebem menos. O Primeiro Emprego, para os jovens, era uma coisa muito boa porque dava treinamento e gerava emprego. E também foi acabado. Não tem atração de investimentos, de novas indústrias, não há criação de empregos. Na minha época, o Maranhão cresceu todos os anos. E agora, você verificando os dados oficiais, você confirma que o Maranhão está decrescendo”, disse.

“Eu nunca persegui ninguém. Nunca fui atrás de prender gente de moto que está trabalhando. Nunca fui atrás de multar, de pegar dinheiro dos pequenos produtores. O que está acontecendo, hoje, é uma perseguição. Se você está aqui comigo e diz que não é do lado [de Dino], você será perseguido. O que me impulsiona a ser novamente candidata a governadora, o que me impulsiona a voltar a trabalhar pelo meu povo, é o amor que tenho pela minha terra, pela minha gente”, completou.

Abaixo, confira a entrevista.

Facebook
Twitter
Instagram

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *